“1,2 milhão alagoanos recebem o Auxílio Emergencial”

Os dados apresentados pelo economista Cícero Péricles de Carvalho, em relação ao pagamento do Auxílio Emergencial em Alagoas, são impactantes. Mas, acima de tudo, revelam a imensa pobreza e dependência dos cofres públicos a que estamos submetidos – e de há muito.

– São 1 milhão e duzentas mil pessoas que recebem algo em torno de R$ 770 milhões, a cada mês, do benefício criado pelo Congresso Nacional.

O número de beneficiários do Auxílio Emergencial representa o dobro e dos inscritos do cadastro único no estado e mais da metade de todo o eleitorado alagoano.

É muita gente.

Convidado do Ricardo Mota Entrevista desta semana, o economista, que lançou – e está disponível na internet – recentemente Os impactos da epidemia na economia alagoana: Notas sobre a conjuntura econômica nos meses de março a junho de 2020cunhou a expressão “aparente normalidade” para explicar o que vivemos hoje.

Os efeitos da paralisação da economia não foram – ainda – sentidos na sua inteireza graças às várias inciativas capitaneadas pelo Congresso Nacional, que foram endossadas pelo governo federal. Somemos ainda pagamentos feitos pela Previdência Social e os salários dos servidores, que continuaram os mesmos e pagos em dia.

O quadro deve ganhar maior gravidade nos próximos meses, quando o Auxílio Emergencial deixará de ser pago, pelo menos no valor atual, e cessarem os efeitos da ajuda de R$ 60 bi para estados e municípios (R$ 554 milhões para o governo estadual e R$ 328 milhões para as prefeituras alagoanas).

Mas como deveremos sair dessa situação?

Vale a pena conferir.

Domingo, às 10h30, na TV Pajuçara

Ricardo Mota Entrevista

Convidado: Cícero Péricles de Carvalho, economista e professor da UFAL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP