Construída pelo Governo do Estado, sétima UPA de Maceió será entregue em cinco meses

Texto de Kelly Cordeiro

O terreno onde atualmente funciona o Ambulatório 24 Horas Dom Miguel Câmara, no bairro Chã da Jaqueira, vai dar lugar a uma nova estrutura para fortalecer o atendimento médico à população da capital alagoana. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) teve o início das obras autorizado nesta sexta-feira (11) pelo governador Renan Filho e pelo secretário da Saúde, Alexandre Ayres.

A unidade é a sétima UPA de Maceió e a quinta erguida e mantida exclusivamente com recursos do Governo do Estado. O investimento é de R$ 6,2 milhões para a construção de um equipamento do tipo III, com leitos de observação e urgência, e atendimento nas áreas de clínica geral, pediatria, ortopedia e odontologia. Além disso, vai dispor de consultórios, serviço de exames de Raios-X e eletrocardiograma, salas de gesso, nebulização e laboratório.

O governador Renan Filho assegurou que os profissionais que hoje atuam no ambulatório serão absorvidos pela nova UPA. “A gente vai substituir o antigo mini pronto-socorro da Chã da Jaqueira porque ele é muito pequeno. Então será demolido para dar lugar à UPA que é três vezes maior e vai ofertar uma estrutura melhor para funcionários e pacientes. Inclusive os servidores que trabalham no mini têm a garantia de ser aproveitados na UPA”, assegurou.

Durante a construção, o atendimento do Ambulatório Dom Miguel Câmara vai funcionar em uma estrutura provisória montada próximo ao local, até que a UPA seja entregue dentro de cinco meses. Segundo o secretário Alexandre Ayres, as obras das outras unidades – do Jaraguá e Cidade Universitária – estão avançando e até agosto devem ser inauguradas.

“Na Cidade Universitária as obras devem ser finalizadas ainda no mês de julho e, em Jaraguá, a previsão de entrega é para agosto. Essa ampliação da rede de urgência chega para aproximar o serviço de saúde do cidadão alagoano e contribui para desafogar o HGE”, disse Ayres.

Hoje Maceió conta com as UPAs do Jacintinho e Tabuleiro, em funcionamento, que são fruto de investimentos próprios do Estado. Já as UPAs do Benedito Bentes e Trapiche receberam tanto recursos estaduais quanto do governo federal. Somadas às unidades do interior – Maragogi, São Miguel dos Campos e Delmiro Gouveia – já são dez unidades mantidas pelo Governo de Alagoas.

“Este ano chegaremos a dez UPAs entregues no nosso governo, o que representa um marco histórico para Alagoas. E com 70% delas construídas e mantidas com recursos do Estado. Esses equipamentos eram de competência federal, mas nós tivemos que assumir, uma vez que o governo federal perdeu a capacidade de investimento. Então, mesmo na pandemia, o Estado fez o necessário para colocá-las para funcionar”, explicou o governador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP