Crescente ocupação de leitos para Covid reforça necessidade de cumprir medidas protetivas

Taxa de ocupação de leitos SUS exclusivos para a Covid-19 já chegou a 64% e ascendeu o sinal de alerta

Texto de João Victor Barroso

A Rede Pública de Saúde de Alagoas destinada ao enfrentamento à Covid-19 está estruturada com 896 leitos exclusivos para o tratamento da doença. As vagas estão distribuídas pelo território alagoano de maneira estratégica para atender toda a população, mas, em decorrência do avanço do novo coronavírus e com o aumento na taxa de ocupação de leitos, o número de vagas disponíveis vem diminuindo, e esse percentual já ultrapassou a casa dos 60%.

São 577 leitos ocupados, o que representa 64% do total de vagas disponíveis exclusivamente para pacientes com a Covid-19, segundo o último boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). Os leitos estão divididos em clínicos, intermediários e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), e estão presentes em 16 cidades de Alagoas, distribuídos em unidades hospitalares e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

A taxa de ocupação dos leitos de UTI, onde os pacientes mais graves são internados, está próxima dos 70%, tendo atingido o percentual de 68%, de acordo com relatório da Sesau.

Para Álvaro Bulhões, coordenador médico do Hospital da Mulher (HM), o aumento do número de pacientes internados tem trazido preocupação para todos que estão na linha de frente contra a Covid-19. “Nos últimos dez dias, tivemos um aumento considerável na quantidade de pacientes, principalmente dos casos mais graves da doença. Tem sido um número acima do que esperávamos. E com todos esses leitos ocupados, pode gerar um colapso na rede de saúde pública e vários alagoanos ficariam sem atendimento”, informou o médico.

Medidas de proteção – O coordenador médico do Hospital da Mulher reforça que a população deve manter todas as medidas de proteção para reduzir o contágio e evitar que o número de vagas disponíveis continue caindo. “A alta na taxa de ocupação de leitos é um reflexo do relaxamento da população em relação às medidas protetivas. A população deve nos ajudar nesse momento de dificuldade, respeitando o distanciamento social, fazendo o uso da máscara e a constante higienização das mãos com água e sabão ou com álcool 70%”, reforçou.

Para se ter uma ideia do aumento do contágio da Covid-19, os socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Alagoas também registraram acréscimo no número de ocorrências com pacientes suspeitos ou confirmados com Covid-19. Nos dois primeiros meses de 2021, o Samu Alagoas atendeu 1.192 casos, e entre os meses de janeiro e fevereiro houve um aumento de 14% nos chamados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP