Em jogo dramático, CSA empata com o Bota-PB e é o 10º na tabela: 1 a 1

Em jogo complicado e com ares de dramaticidade, neste domingo (13), o CSA, que segue em busca de um lugar no G8 da Série C do Brasileiro, ficou no empate por 1 a 1 com o Botafogo-PB. O Azulão até que teve inúmeras chances, mas não acertou o pé contra o Belo, que mira a liderança geral da competição. A partida foi válida pela 17ª rodada, no Estádio Rei Pelé, em Maceió.

O Belo abriu o placar com Mariotto, aos 15 minutos da etapa inicial. O empate azulino veio com Júnior Todinho, aos 31 minutos, também do primeiro tempo.

Com este resultado, o time azulino ocupa a 10ª colocação, com 23 pontos; enquanto o Belo é o 4º colocado, com 29 pontos. Se quiser ainda se classificar, terá de vencer as duas partidas que ainda restam.

Reveja como foi o jogo no YouTube da Gazeta!

O próximo desfaio do Azulão, pela 18ª rodada, será no domingo que vem (dia 20), também no Rei Pelé e às 16 horas, contra o Remo. Já o Bota-PB vai voltar a campo um dia antes, no sábado (19), às 16 horas, em casa, ou seja, no Almeidão, onde receberá o Confiança.

Momento de comemoração de Júnior Todinho, no gol de empate do CSA – Foto: Ailton Cruz

1º Tempo

O CSA começou bem o jogo, pressionando e buscando o ataque. E o Azulão assustou aos 11 minutos. Arnaldo disparou pela direita, cruzou à meia-altura, Jô deu um peixinho e a bola passou pertinho da trave esquerda de Mota. Mas se o time azulino assustou, quem fez o gol foi o Belo, após bobeira da defesa azulina, aos 15 minutos. Rogerinho enfiou entre os zagueiros, Mariotto entrou frente a frente com Dalberson, só fez fintar o goleiro do CSA e mandou para o fundo da rede: 1 a 0.

O jogo ficou quente, com o CSA buscando o gol, tentando sair do prejuízo, e o Bota recuando, fazendo a famosa cera, o anti-jogo. E assim o duelo chegava aos 20 minutos e era bem movimentado. O problema era que o Azulão estava nervoso e não conseguia finalizar.

Aos 19min, o Bota tentou o segundo gol. Mariotto recebeu o passe de Rogerinho, chutou forte e carimbou a bola em cima de Ednei, deixando Rogerinho na bronca porque entrava sozinho na área azulina. Aos 23 minutos, em tentativa azulina, Arnaldo arremessou a bola na área do Botafogo-PB, Jô desviou de cabeça e Mota ficou com ela.

Aos 27′, o Azulão tentou de novo, quando Iago Teles chutou rasteiro de fora da área, Jô dominou, mas o assistente marcou lance de impedimento do ataque azulino. E eis que, aos 28 minutos, o Botafogo teve um jogador expulso: Ricardo Luz, que chegou duro em cima de Iago Teles, parando o atacante do Azulão com falta grave e recebeu o segundo cartão amarelo, sendo expulso na sequência.

CSA sofreu o gol do Bota no inicio da primeira etapa – Foto: Ailton Cruz

Era a chance de o CSA fazer o gol, já que o adversário estava com um homem a menos em campo e teria mais dificuldade de marcação. E assim aconteceu. Aos 31 minutos, na bola parada, Tomas Bastos mandou na área do Belo, Júnior Todinho surgiu entre os zagueiros, cabeceou no contrapé de Mota e mandou para o fundo da rede, deixando tudo igual no Rei Pelé: 1 a 1.

Aos 37 minutos, Gabriel Taliari, do Azulão, recebeu a bola e quando ia se preparando para o chute sofreu a falta de Wesley Dias, na frente da área alvinegra. Com a falta sofrida, Taliari acabou chorando fora de campo, mas voltou ao jogo. Aos 40 minutos, Tomas Bastos bateu a falta muito bem, encobrindo a barreira, e acerta o travessão.

O árbitro determinou seis minutos de acréscimos e o primeiro tempo ia até os 51 minutos. Mas, com tantas faltas, cartões e paradas, inclusive, com reclamações, o árbitro deu mais 3 minutos de acréscimos. E, aos 54 minutos, o primeiro tempo foi encerrado, com o um a um.

Momento de CSA x Botafogo-PB, no Trapichão – Foto: Ailton Cruz

2º Tempo

No início da segunda etapa quem começou assustando foi o CSA. Aos 7 minutos, Gabriel Taliari recebeu a pelota livre de marcação e mandou um chutaço, uma bomba, mas o goleiro Mota caiu no canto esquerdo e espalmou, mandando para escanteio. Aos 8′, de novo o Azulão. Tomas Bastos recuou a bola para Arnaldo, que mandou na área e Taliari, sozinho, cabeceou, mas por cima do gol.

Só dava CSA na partida, que pressionava, rondava a bola na frente da área alvinegra e ia atrás do gol da virada, mas faltava aquele capricho, aquela finalização com qualidade. Aos 12min, quem assustou foi o Bota. Bismark ganhou a bola de Jô no meio, viu Dalberson adiantado e arriscou de longe, mas a bola foi por cima da trave azulina.

E assim a partida se encaminhava para os 15 minutos, com o empate de 1 a 1 persistindo, levando a torcida azulina à loucura, que cantava nas arquibancadas. À essa altura, mais mudanças nos dois times passaram a ser efetuadas por seus respectivos treinadores.

Em sua primeira participação no jogo, depois de ter entrado, Ray Vanegas errou o tempo da bola e cabeceou direto para fora, aos 17min, depois que Arnaldo mandou a pelota na área do Botafogo-PB. E Ray errou de novo aos 19 minutos. Yago Henrique o viu penetrar sozinho no meio da defesa do Belo, mandou na medida, mas ele desperdiçou uma chance inacreditável.

CSA não saiu do 1 a 1 com o Botafogo-PB, pela Série C – Foto: Ailton Cruz

O CSA abusava de perder as oportunidades. Aos 24 minutos, Tomas Bastos levantou a bola na área do Belo, Júnior Todinho tentou fazer o domínio, mas errou e viu a bola se perder pela linha de fundo, em tiro de meta. O Azulão tinha mais posse de bola, mas usava mais os lados do campo, não infiltrava pelo meio e a torcida se impacientava com as chances perdidas pelo seu time.

O duelo chegava aos 30 minutos e o que se via era que o Belo já nem atacava mais. Com esse panorama, o jogo passou a ficar dramático. Vendo tal situação, o técnico do CSA, Marcelo Cabo, fez mais substituições na equipe. Aos 32min, em tentativa azulina, Rafael Forster acionou Gabriel Taliari, que deu um chute rasteiro, mas a redonda foi para fora.

Aos 40 minutos, o CSA seguia apenas tentando, sem acertar o pé. Em cobrança de escanteio de Tomas Bastos, ele mandou por cima e o goleiro do Botafogo-PB tirou de soco. Aos 42′, o atacante azulino Everton Silva mandou a bola na segunda trave, Luís Felipe desabou na área e queria o pênalti, mas o árbitro não foi na dele e mandou o jogo seguir.

Quando o relógio marcava 45 minutos, o árbitro determinou 6 minutos de acréscimos. Aos 47′, outra oportunidade incrível perdeu o Azulão. Ray Vanegas cruzou na linha da pequena área, Gabriel Taliari subiu sozinho, mas pegou mal na bola e mandou para fora, levando os torcedores à loucura, no Rei Pelé. E, sem tempo para mais nada, o confronto foi encerrado aos 52 minutos.

Mais de CSA 1×1 Bota-PB, pela Terceirona 2023 – Foto: Ailton Cruz

Ficha Técnica

CSA – Dalberson; Arnaldo (Everton Silva), Ednei, Rafael Forster e Rhuan Ferreira; Moisés Ribeiro (Yago Henrique), Tomas Bastos e Jô (Luís Felipe); Iago Teles (Ray Vanegas), Júnior Todinho (Robinho) e Gabriel Taliari. Técnico: Marcelo Cabo.

Botafogo-PB – Mota; Ricardo Luz, Pedro Carrerete, Wesley Matos e Zé Mario; Netinho (Tenório), Wesley Dias e Rogerinho (Tata Baiano); Marco Antônio (Carlos Alexandre), Bismark (Natan Costa) e Mariotto (Lucas Mendes). Técnico: Felipe Surian.

Árbitro – Davi de Oliveira Lacerda (CBF/ES).

Assistentes – Vanderson Antônio Zanotti (CBF/ES) e Adilson Gomes de Oliveira (CBF/ES).

Quarto árbitro – Wiomar Santana de Oliveira (CBF/AL).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP