Governo distribui 112.840 doses da AstraZeneca para ampliar vacinação contra a Covid-19

O volume de vacinas AstraZeneca recebidas pelo Governo de Alagoas possibilitará que os municípios avancem ainda mais na imunização dos alagoanos contra o novo coronavírus. As 99.750 doses enviadas pelo Ministério da Saúde (MS), na última segunda-feira (3), estão disponíveis para serem retiradas pelas 102 cidades alagoanas nos Centros de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos, localizados em Maceió e em Arapiraca, junto a outras 13.090 doses que estavam armazenadas como reserva técnica no Programa Nacional de Imunização em Alagoas (PNI/AL), órgão ligado à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

O total de 112.840 doses será destinado a concluir a imunização dos profissionais de saúde, continuar a vacinação das pessoas portadoras de comorbidades e iniciar os próximos grupos prioritários definidos nos Planos Estadual e Nacional de Vacinação Contra a Covid-19: trabalhadores da educação básica, pessoas com deficiência permanente, população em situação de rua, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Quantitativo para cada grupo – O PNI/AL informou, em nota técnica que pode ser baixada ao clicar aqui, que estão sendo disponibilizadas 7.620 doses para finalizar a imunização dos trabalhadores da saúde nos municípios de Arapiraca, Campo Alegre, Maceió, Matriz de Camaragibe, Palmeira dos Índios, Penedo, São José da Tapera, São Miguel dos Campos e União dos Palmares, já que as demais cidades alagoanas já concluíram a imunização desse grupo prioritário.

Para pessoas com comorbidades a partir dos 45 anos de idade, estão disponíveis 44.105 doses. Outras 34.660 serão aplicadas nos portadores de deficiência permanente, com idade entre 55 59 anos. O documento do PNI/AL orienta os municípios a priorizarem as pessoas que estiverem cadastradas no programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC), por estarem potencialmente mais vulneráveis à pandemia. Aqueles que não estiverem no BPC devem comprovar a deficiência por meio de laudo médico, cartões de gratuidade no transporte público, documento que indique se tratar de pessoa com deficiência, ou documento comprobatório de vinculação a Centros de Reabilitação ou unidades especializadas no atendimento às pessoas com deficiência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP