Sem novos leitos, Maceió vai entrar na fase vermelha

Maceió pode regredir para a fase vermelha na próxima semana. E não só a capital. Todo o Estado sofrerá restrições ainda mais duras na circulação de pessoas. O governo já alertou setor produtivo e líderes políticos sobre essa possibilidade.

A boa notícia, no entanto, é que tudo pode continuar como está por mais uma semana, com possibilidade até de evolução para a fase amarela até o final deste mês.

Tudo vai depender de dois fatores. O principal deles, no momento, é a contratação de novos leitos de UTIs exclusivos para a Covid-19 pelo Estado.

No momento, Alagoas tem 310 UTIs na rede pública exclusivos para a Covid-19. É um recorde. Mas ainda é pouco para dar conta da segunda onda.

O governador Renan Filho autorizou a Secretaria de Saúde do Estado a contratar mais leitos esta semana. Serão de 50 a 70 leitos que serão abertos principalmente na rede privada.

Se a Sesau-AL conseguir contratar novos leitos, o governo vai manter a maior parte do estado na fase laranja – inclusive Maceió.

Também conta nesse esforço as iniciativas do prefeito da capital. Na semana passada JHC disponibilizou 70 leitos para Covid-19, sendo 20 UTIs. Esta semana a prefeitura deve liberar mais 50 leitos.

O outro fator, claro, é a evolução da pandemia.

Como já disse, a doença avança mais rapidamente no momento do que a capacidade do Estado em ampliar a oferta de leitos. Se o ritmo de contágio não diminuir – o que pode acontecer a partir das novas medidas – o colapso da rede de saúde será inevitável.

O governador Renan Filho diz que pretende manter o atual decreto até a próxima semana – como previsto.

Na semana passada ele editou a atual portaria apenas três dias depois de ter colocado o Estado na fase amarela.

“Essa semana estamos na luta para abrir mais leitos. Temos hoje 310 (UTIs). No interior e na capital. Queremos abrir mais 50/70”, aponta o governador

Com os novos leitos, o governo avalia que será possível passar a fase mais dura da pandemia sem formar filas nos hospitais, a exemplo do Paraná, que tem mais de mil pessoas esperando por vagas para tratamento de Covid-19 nas redes pública e privada.

Tudo, no entanto, vai depender do que cada um de nós fizer. O vírus não perdoa. Enquanto a vacina não chega, melhor prevenir.

Evolução de leitos de Covid-19 em Alagoas

Hoje são 993 leitos, um crescimento de 51,1% em relação a 1o de janeiro de 2021 (657) . Destes, são 310 UTIs, uma variação de 65,7 na comparação com os 187 que eram ofertados no começo do ano (187).

Repito. O rápido crescimento do número de leitos, especialmente de UTIs, não dá conta da Covid-19 que continua avançando avança mais rapidamente.

Nesse mesmo período – entre 1o de janeiro e 9 de março – a ocupação total dos leitos saltou de 270 para 682, um aumento de 152,5%. Em apenas um dia a ocupação aumento em mais de 10% (até o dia era 626 leitos ocupados).

A situação, repito, é mais preocupante no caso das UTIs. O número de internados pulou de 103 para 254, em crescimento de 146%. O número de pacientes em leitos de UTIs exclusivos para a Covid-19 é recorde e a taxa de ocupação nessa terça-feira, 9, chegou aos 82%.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP