Brasileira desaparecida em Israel é encontrada morta, diz família

A família de Bruna Valeanu, brasileira que estava desaparecida em Israel desde sábado (7), confirmou a morte da jovem no fim da manhã desta terça-feira (10).

A estudante estava na festa rave Universo Paralello com amigos quando terroristas do Hamas chegaram e iniciaram o ataque que já é considerado o pior contra judeus das últimas décadas.

Mais cedo, já havia sido confirmada a morte de Ranani Nidejelski Glazer, que estava na mesma rave. Ainda há uma brasileira desaparecida nos conflitos: Karla Stelzer Mendes.

O DJ Juarez Petrillo, pai dos DJs Alok e Bhaskar, filmou o momento em que o festival foi interrompido (veja abaixo). De acordo com o jornal “The Times of Israel”, ao menos 260 corpos foram encontrados no local.

O g1 conversou com Florica, irmã mais velha de Bruna, que também vive em Israel. Segundo Florica, o Exército israelense comunicou ter encontrado o corpo da estudante. O enterro está previsto para a noite desta terça (tarde no Brasil).

“Minha mãe teve um pressentimento nesse dia, ela não sabia que a festa seria perto de Gaza. Minha mãe falou: ‘Bruna, não vai na festa’. Minha mãe teve esse pressentimento”, contou Florica, mais cedo.

A jovem de 24 anos vivia em Israel havia 8 anos e estudava comunicação e marketing. Lá também moram a mãe e Florica. Outra irmã, Nathalia, permaneceu no Rio de Janeiro.

Das três, Bruna era a que mais sabia falar hebraico — e o idioma foi mais uma dificuldade na busca de informações.

“Ela [Bruna] foi para esta festa, estava com um grupo grande de amigos, muitos brasileiros e israelenses. Ela acabou se separando, na hora do ataque, das outras amigas dela, que já se salvaram. Ela ficou em um grupo onde estava o Liam, um amigo do trabalho, que é israelense”, contou Nathalia.

“Sendo muito sincera, a minha melhor esperança é que ela tenha sido sequestrada. Porque se não, eu acho que é isso, ela não sobreviveu”, havia dito Nathalia ao g1 nesta segunda-feira (9), antes da confirmação da morte de Bruna.

“A última coisa que conseguimos foi a localização dela por mensagem. Era uma localização perigosa, onde os terroristas entraram armados em caminhonetes, tanques, motos”, disse a irmã da carioca.

“Ela disse que ouvia muitos tiros e tinha muitas pessoas feridas. E ela estava no meio de um mato, mas era um lugar que estava meio cercado”, lembrou.

Outra brasileira desaparecida

Karla Stelzer Mendes, carioca de nascimento e com cidadania israelense, também estava na Universo Paralello. Ela mora no país com o namorado, com quem se relaciona há seis anos, e tem um filho de 19 anos, que faz parte do Exército local.

As últimas mensagens enviadas para a família foram na manhã de sábado (7), no começo do ataque terrorista do Hamas. O namorado de Karla também está desaparecido.

“Está muito difícil, tudo. Mas a gente tem fé que a Karla está viva e a gente vai encontrá-la”, disse Patrícia Hallak, amiga de Karla.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP