Metade dos secretários de Renan Filho deve disputar eleição em 22

O Poder Executivo de Alagoas tem na formação atual 20 órgãos que são classificados oficialmente com a nomenclatura de Secretarias de Estado.

Até abril deste ano, como adiantei (veja aqui) ao menos 5 secretários poderiam deixar o governo em 22, para disputar as eleições.

Agora, o número dobrou – literalmente. O total de secretários que deve deixar o governo até o início de abril do próximo ano para disputar a eleição pode chegar a 10. É o que aponta levantamento com informações de diferentes interlocutores.

Alguns nomes são incentivados pelo governador Renan Filho. Outros tem projetos próprios de grupo ou de partido.

O time de candidatos mais próximo do governador é formado por Alfredo Gaspar de Mendonça (Segurança), Alexandre Ayres (Saúde) e Rafael Brito (Educação).

Estes três podem disputar, respectivamente vagas para a Câmara dos Deputados ou Assembleia Legislativa, em caso de afastamento do governador em abril do próximo ano.

Se Renan Filho ficar para terminar o governo, podem ser escalado para disputas majoritárias – Senado, governo e vice.

Apontado como pré-candidato à Assembleia Legislativa, Rafael Brito pode ser também indicado pelo governador para uma composição com a Assembleia Legislativa como candidato a vice-governador.

Os demais secretários vão encarar as proporcionais. Alguns já confirmaram quais cargos pretendem disputar em 2022.

Maurício Quintella (Infraestrutura) será candidato a deputado estadual. Atualmente está no PL, mas só fica no partido se conseguir montar chapa.

Arthur Albuquerque (Trabalho) também deve ser candidato a deputado estadual. Atualmente no PTB, deve mudar de partido. Terá a missão de substituir o pai, Antônio Albuquerque na Assembleia Legislativa. AA pode ser candidato majoritário.

Fabiana Pessoa (Desenvolvimento Social) será candidata a deputada. Poderá disputar vaga de federal ou de estadual pelo Republicanos – vai depender do cargo que o deputado federal Severino Pessoa (marido dela) for concorrer.

Marcius Beltrão ( Desenvolvimento Econômico e Turismo) também deve ser candidato a deputado federal. Continua filiado ao PDT, mas tudo indica que vai mudar de partido: PP? MDB? PSB? Para ele, todas estas possibilidades estão abertas.

Fernando Pereira (Meio Ambiente e Recursos Hídricos) será candidato a deputado estadual pelo PP, dependendo do que decidir a irmã dele – a deputada estadual Jó Pereira. A parlamentar trabalha o nome para a majoritária, mas não descarta a Câmara dos Deputados.

Kelmann Vieira (Prevenção à Violência) também mira uma cadeira na Câmara dos Deputados. O caso dele, no entanto, não é simples. Vereador de Maceió e filiado ao Podemos, pode ter dificuldades para mudar de partido sem risco de perda de mandato. E sua legenda, já se sabe, não conseguirá formar chapa de federal em Alagoas – ou conseguirá? (Aguarde novidades).

Maria José da Silva (Mulher e Direitos Humanos) será – salvo fato novo – candidata a deputada estadual pelo PT. Vai compor a chapa do Partido dos Trabalhadores, que trabalha para eleger ao menos dois estaduais no próximo ano.

Eis portanto a lista – por enquanto – dos secretários de Estado que podem disputar mandatos em 22. Em ordem alfabética, para facilitar a “leitura”:

Alexandre Ayres

Alfredo Gaspar de Mendonça

Arthur Albuquerque

Fabiana Pessoa

Fernando Pereira

Kelmann Vieira

Marcius Beltrão

Maria José da Silva

Maurício Quintella

Rafael Brito

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP