Nova temporada da ‘Escolinha’ do professor Raimundo.

Professor Raimundo dá aulas on-line na estreia da nova temporada da 'Escolinha' — Foto: Globo

Professor Raimundo dá aulas on-line na estreia da nova temporada da ‘Escolinha’ — Foto: Globo

O mundo está vivendo há meses em quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus, e essa nova realidade com aulas on-line vai aparecer no episódio de estreia da sexta temporada da Escolinha do Professor RaimundoNeste domingo, 18/10, o humorístico retorna e vai mostrar uma aula típica do “novo normal”: cada um na sua casa , mas juntos no ensino a distância.

Pela primeira vez na história da Escolinha, o público vai ver cenários que até então só estavam no imaginário: a casa da Dona Bela (Betty Gofman), a fazenda do Nerso da Capitinga (Gui Santana) e muito mais!

Um pouco da fazenda do Nerso da Capitinga (Gui Santana) e outros cenários vão aparecer nas aulas da 'Escolinha' — Foto: Globo

Um pouco da fazenda do Nerso da Capitinga (Gui Santana) e outros cenários vão aparecer nas aulas da ‘Escolinha’ — Foto: Globo

“De uma hora para outra, todos nós tivemos que nos adaptar tanto ao ensino, como ao trabalho a distância. Nesse episódio, que simula uma aula de videoconferência, os personagens passam pelas mesmas dificuldades que todos passamos. A conexão cai, a tela trava, a campainha toca, os alunos mudam filtros e fundos, enviam emojis. Optamos por usar essas dificuldades e novidades tecnológicas a nosso favor e tivemos muito material para trabalhar”, adianta a redatora final Angélica Lopes.

As situações engraçadas da vida em videoconferência também vão aparecer. Marina da Glória (Fernanda de Freitas), por exemplo, vaidosa, usa filtros para aparecer na aula, e um descuido do Galeão Cumbica (Kiko Mascarenhas) vai mostrá-lo de cueca pra turma toda 🙂

Marina da Gloria (Fernanda de Freitas) vai usar filtros durante as aulas — Foto: Globo

Marina da Gloria (Fernanda de Freitas) vai usar filtros durante as aulas — Foto: Globo

Bastidores

Nos bastidores, os artistas se adaptaram e se divertiram com as gravações remotas. Lucio Mauro Filho, o Aldemar Vigário, falou sobre desafio da falta do contato com os colegas:

“Foi muito interessante gravar à distância. É importante saber que é possível fazer trabalhos com qualidade de maneira alternativa, e temos que estar preparados para atuar nesse modo”.

“Só tenho a agradecer por termos um trabalho e essa ferramenta que possibilita realizá-lo mesmo nesse momento triste e confuso na vida de todos nós. Foi emocionante gravar este especial, mesmo sem estar presencialmente com os outros. A vontade de agarrar, beijar e morder é muito grande, mas, de qualquer forma, foi muito gostoso encontrar todo mundo e passar por esse desafio. Que é o mesmo desafio que estamos tendo na nossa vida em geral”, compara Betty Gofman.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP