Eleição vira “caso de polícia” na região sul de Alagoas

Edvaldo Jr

 

O ‘clima’ eleitoral na região sul de Alagoas nunca foi ameno. Longe disso. Mas nas eleições municipais deste ano, a disputa está em ponto de fervura. Literalmente. O epicentro da ebulição política é o município de Coruripe, principal base da influente família Beltrão.

O ‘racha’ entre os Beltrão alimenta uma disputa acirrada entre os primos Maykon e Marcelo pela prefeitura do maior município da região e ajuda a disseminar um modelo de campanha baseado em ataques aos adversários em outras cidades.

Os xingamentos e acusações também ecoam em Jequiá da Praia, com direito a ameaças veladas entre um deputado e um vereador.

Em vídeos que circulam pelas redes sociais ele trocam ameaças, que podem resultar em violência física. Em outras cidades do interior, declarações similares terminaram em homicídios.

A ‘guerra’ política corre de fato o risco de virar ‘caso de polícia’. Literalmente, ainda que não ocorra nenhum atentado conta a vida dos candidatos.

Nessa terça-feira a assessoria do deputado federal Marx Beltrão (PSD) divulgou cópia de ofício em que ele pede audiência ao presidente do Conselho Estadual de Segurança, Maurício Breda. No ofício, o parlamentar relata “uma possível trama para tentar interferir no rito normal do processo democrático”. Na trama, segundo o deputado, o carro de um determinado candidato seria “alvejado”.

Independente de qual lado tem razão, não só o Conseg, mas a SSP/AL e TRE-AL deveriam monitorar o ‘clima’ eleitoral na região e, de preferência, adotar medidas para tentar conter os ânimos que parecem cada vez mais exaltados por lá.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP