O que se previa se consolida, CSA mediocre e incompetente perde na despedida da temporada.

Em despedida precoce e melancólica da temporada 2023, o CSA entrou em campo na tarde deste sábado (26), contra o Amazonas, com um time praticamente modificado, por conta da saída de alguns jogadores considerados titulares. E, em sua última partida do ano, o já eliminado time azulino perdeu para o Amazonas por 1 a 0.

O duelo foi disputado no Estádio Carlos Zamith, em Manaus-AM, pela última rodada da 1ª fase da Série C do Brasileiro. O gol do Amazonas foi de Ítalo, na segunda etapa. E, com este resultado, o time azulino encerra sua temporada com 24 pontos, ocupando a 12ª colocação na tabela. E a equipe de Manaus, já classificada à próxima fase, soma 32 pontos, ficando na 3ª posição.

Sem mais compromisso neste ano, o Azulão voltará a campo apenas em 2024. Daqui até lá vai ter tempo para arrumar a casa, que se encontra bagunçada, sobretudo nos bastidores, a fim de começar o ano mais organizado, tanto em relação à diretoria quanto em relação à equipe que deve ser formada para a disputa das competições em 2024.

Momento de Amazonas x CSA, na Série C – Foto: Jadison Sampaio/AMFC

1º Tempo

Quem começou assustando foi a Onça. Com menos de um minuto, Patric deu um chutaço no canto do gol do CSA e o goleiro Dalberson se esticou e fez a defesa. Por pouco o placar não foi aberto. O Azulão começou mal na partida, tinha dificuldades de sair jogando e só dava Amazonas no início de bola rolando.

Aos 4 minutos, de novo o Amazonas tentou e levou perigo, quando Rafael Tavares arriscou o chute de fora da área e o goleiro azulino defendeu no lado esquerdo. Passando dos 5min, o Azulão se soltou mais um pouco no jogo, mas ainda não conseguia passar do meio-campo. Aos 7′, em cobrança de falta, Ernandes levantou na área e a zaga do Amazonas afastou.

A Onça Pintada arriscou de longe, aos 10 minutos, quando Léo Guerra dominou a bola e tentou surpreender o goleiro Dalberson, mas ele defendeu em dois tempos. O duelo passava dos 15 minutos e ainda não tinha acontecido nenhum lance de emoção, sobretudo por parte do CSA, que ainda não tinha chegado ao ataque e apenas se segurava.

Chegando aos 20 minutos e com o forte calor em Manaus, uma temperatura escaldante, o que se via era que o time da casa continuava um pouco melhor. Aos 19′, Sassá chutou, a bola resvalou na zaga e sobrou para Léo Guerra pegar de primeira, mas ela foi na rede pelo lado de fora. Nesse momento, o árbitro deu uma parada técnica para os jogadores tomarem aquela água e se hidratarem.

Aos 26min, o CSA teve uma cobrança de escanteio. Arnaldo levantou com perigo e o zagueiro Jackson afastou de cabeça. O tempo técnico parece que deu certo, refrescou a mente dos azulinos, que deram uma melhorada no jogo, inclusive após terem uma conversa com o técnico Marcelo Cabo. E o tempo chegava aos 30 minutos de bola rolando.

Aos 31′, o CSA chegou, após Jô se livrar de Thiago Spice e tentar finalizar, mas o goleiro Marcão saiu e defendeu. Aos 32min, Ernandes cobrou escanteio na área e o zagueiro Almir Luan, do Azulão, cabeceou livre de marcação, mas mandou para fora. Aos 36′, o Amazonas quase abriu o placar. Diego Torres cobrou uma falta por baixo da barreira azulina e Dalberson fez uma defesaça, livrando o CSA de levar o gol.

O 1º tempo chegava ao fim e o herói do jogo era o goleiro azulino Dalberson, com várias defesas importantes. Aos 42′, ele caiu dentro da sua pequena área, sentindo dores no pé esquerdo, além, claro, do forte calor, que foi reclamado pelo goleiro ao árbitro. E, com os 3 minutos de acréscimos dados pelo árbitro, aos 48′ a etapa inicial foi encerrada, com o placar zerado.

CSA perdeu o jogo já no final da segunda etapa, mas ao menos não foi rebaixado – Foto: Jadison Sampaio/AMFC

2º Tempo

Assim como na etapa inicial, quem começou chegando foi o Amazonas, aos 2 minutos. Em jogada individual pela esquerda, Renan cruzou para Sassá, mas a zaga azulina afastou o perigo. No comecinho também, por volta dos 10 minutos, o técnico azulino fez logo duas alterações na sua equipe, mas deixando-a ofensiva.

A partida chegava aos 15 minutos e não tinha mudado muito em relação ao que foi na etapa inicial. Aos 16 minutos, a Onça assustou: Diego Torres tocou a bola para Rafael Tavares, que mandou um chutão, mas viu a zaga do CSA afastar e evitar o gol do time amazonense. Dessa vez foi a vez de o treinador da Onça fazer mudanças em seu time.

O CSA parecia estar satisfeito com o resultado de momento e não fazia uma partida ruim. Incrivelmente deu até uma melhorada em relação às atuações de jogos anteriores. Aos 19 minutos, o Azulão teve uma falta em seu favor. Ernandes levantou na área, mas a zaga do Amazonas afastou o perigo, tirando dali.

O calor seguia forte na capital amazonense e, aos 20 minutos, o árbitro deu mais uma parada técnica para que os jogadores dos dois times pudessem se hidratar. Aos 26 minutos, foi a vez de a Onça ter uma falta em seu favor, mas a cobrança deu em nada. Italo recebeu dentro da área e bateu cruzado, mas a bola raspou a trave esquerda. E o jogo passava dos 30 minutos.

Mas quem abriu o placar foi o Amazonas. Um balde de água fria nos azulinos, pois o CSA estava em um melhor momento no jogo. Aos 36 minutos, Ermel cobrou o escanteio, pela esquerda, e Italo subiu mais alto que a zaga do CSA e abriu o placar, no Estádio Carlos Zamith: 1 a 0.

O jogo se encaminhava para os 40 minutos e o gol do Amazonas deixou o time azulino cabisbaixo. Aos 45′, o árbitro deu apenas 2 minutos de acréscimos e, sem tempo para mais nada, o jogo foi encerrado aos 47 minutos, com mais uma derrota do CSA decretada na Série C.

CSA e Amazonas em campo pela Série C – Foto: Jadison Sampaio/AMFC

Ficha Técnica

Amazonas – Marcão; Patric (Yuri Ferraz), Thiago Spice, Jackson e Renan Castro; PH (Italo), Léo Guerra (Gustavo Ermel), Xavier e Rafael Tavares; Diego Torres (Ruan) e Sassá. Técnico: Rafael Lacerda.

CSA – Dalberson; Arnaldo, Paulo César, Almir Luan e Ernandes (Rhuan Ferreira); Moisés Ribeiro, Marciel e Yago Henrique (Luís Felipe); Ray Vanegas (Abner), Jô e Robinho (Éverton Silva). Técnico: Marcelo Cabo.

Árbitro – Rafael Martins Diniz (CBF/DF).

Assistentes – José Reinaldo Nascimento Junior (CBF/DF) e Lucas Torquato Guerra (CBF/DF).

Quarto árbitro – Freddy Rafael Lopez Fernandez (CBF/AM).

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TOP